Mariana De Bruim Silva

No dia 09/09/2018, cheguei ao Hospital Unimed Sul Capixaba por volta das 12:00hrs e fui internada logo em seguida com 2 cm de dilatação. Imediatamente fui direcionada para a sala de parto humanizado. Logo após a minha chegada sala de parto, fui visitada pela enfermeira de plantão, que me deixou bem mais tranquila. Além de me instruir algumas atividades para estimular o andamento mais rápido do trabalho de parto, ela, também, me transmitiu muita segurança, me passando confiança e tranquilidade.

Após iniciar os exercícios instruídos e acompanhados pela enfermeira , minhas contrações foram aumentando e com isso a dor, também, foi aumentando. Por voltas das 18h fui avaliada e constatado 6 cm de dilatação. Neste momento a dor já era grande, mas não imaginava que essa dor pudesse aumentar tanto. De forma continua essa dor foi aumentando e por algum momento pensei que não seria capaz de concluir o meu desejo de realizar o parto normal da minha primeira filha.

Neste momento comecei a rezar e pedir a Deus que me desse forças para suportar tamanha dor. E ao meu lado meu marido sempre esteve me confortando e me dando apoio com palavras que fizeram me sentir capaz de conseguir. Também, tenho que ressaltar a presença de minha mãe, que confortava a todo instante com sua experiência de ter passado por dois partos, sendo um deles normal.

Por volta das 20h a dor foi ao extremo e senti que faltava pouco para que esse sonho se realizasse. E por volta das 20:20h a enfermeira preparou a banheira para que amenizasse minha dor com a água morna e após 5 minutos dentro da banheira minha bolsa estourou ali mesmo e a sensação era de que daria a luz naquele momento. Mas o que não sabia era que esse dor ainda iria aumentar. E da banheira fui imediatamente para o leito e subitamente veio uma contração mais forte ainda que fez estremecer todo meu corpo, mas nessa hora percebi que era questão de minutos para que pudesse ver minha filha após 9 meses de espera, senti-lo ela dentro de mim todos os dias.

Nessa hora Deus me enviou um anjo, a Dra. Graziele que estava passando pelo corredor e me ouviu gritando de dor, adentrou a sala de parto e iniciou o diálogo comigo e nesse momento veio a contração e com todas as minhas forças consegui dar a luz. Quando escutei o choro da minha filha, percebi que tudo que passei tinha valido a pena e meio aquela dor, comecei a sorrir.