Ana Cleide Pereira do Nascimento

05 de Fevereiro de 2018

As 01h da manhã iniciaram algumas dores leves, e no meu coração de mãe, já sentia que faltava pouco para pegar meu amado filho em meus braços. Foi ai que eu e meu esposo decidimos ir para o hospital Unimed. Chegando lá após dada a entrada, ao subir na maca a bolsa rompeu e eu já estava com 3 cm de dilatação. Após o rompimento, eu fui conduzida para sala de parto onde fiquei até às 13h sentindo dores leves a mais fortes, e junto delas um misto de emoções expectativa e ansiedade que foi controlada com a presença do meu esposo, que além de um ótimo marido em minutos mostrou o pai que é, presente, dedicado e muito amoroso.
Ás 14h24 foi o momento mais aguardado, Gabriel deu seus primeiros sinais, o médico imediatamente chamou o pai para assistir esse momento mágico. Bastou 3 forças grandes para ele nascer cheio de saúde e lindo, no seu momento, quando ele quis, quando ele já sabia que estava pronto para viver aqui fora, junto das pessoas que o amam.

Foi uma sensação inexplicável, a emoção do pai e do filho. Um choro de felicidade e o outro por ter cumprido sua missão na casinha quentinha por 9 meses.

Deixo aqui registrado o meu imenso agradecimento ao Dr Ricardo Paganotte, que a todo momento me transmitiu tranquilamente e muita confiança. Ao pediatra Doutor José Mesquita toda equipe de enfermagem, Estephani Prata, Fernanda, Hemelly, Mayara e Fernanda. E a Dra Cristina Carvalho, que juntos abraçaram a minha família com carinho e zelo.

Parto normal é vida, é mágica, é liberdade, é o dom que Deus nos concedeu.